terça-feira, 7 de novembro de 2017

ANDAR COM DEUS

Leituras:

  • GN. 5:22 (Enoque)
  • GN. 6:9 (Noé)
  • GN. 17:1 (Abraão)
  • PV. 8:12-21 (O caminho de DEUS)
  • IS. 8:11-14
  • 2 SM. 22:31

Quero convidar você a estar refletindo sobre uma necessidade peremptória nestes dias nos quais, como discípulos de JESUS, estamos vivendo. Quero convidar você a buscar algo que poucos têm experimentado – andar com DEUS!

Não falo de andar com DEUS “no pensamento”, nem “nas ideias”... Não falo de algo meramente “intelectual” ou “mental”... Quero convidar você a experimentar, de fato, a presença de DEUS no seu dia a dia.

Examinando as páginas das Sagradas Escrituras (O Canon Sagrado legado a nós pelos hebreus e pelos cristãos primitivos, que denominamos Bíblia Sagrada), descobrimos que, a despeito do fato de sermos pecadores, imperfeitos, com tendência, desde a infância para fazer o que é mau, DEUS quer relacionar-se conosco, quer fazer parte de nosso dia a dia, quer ter intimidade conosco.

Isso, por si só, já é um motivo para buscarmos ter tal experiência em nossa vida. Os homens mencionados nas Escrituras, que alcançaram tal relacionamento, tal vida elevada, não eram diferentes de nós, pelo contrário, eram sujeitos “às mesmas paixões” ─ Tiago 5:17, no entanto, seu relacionamento com DEUS os capacitou a fazerem a diferença na sua época.

Chegamos aos últimos dias dos quais já profetizou a Bíblia... Dias em que a iniquidade avança sobre a Terra, em que ocorre uma completa “inversão de valores”, o mau é chamado de bom e o certo chamado de errado. É tempo de começar a manifestação dos filhos de DEUS, algo esperado há muito tempo por toda a criação de DEUS – RM. 8:19.

· Enoque andou com DEUS por 300 anos, e como resultado desse relacionamento, não experimentou a morte.

· Noé andava com DEUS, e como resultado, foi salvo do dilúvio global, que destruiu tudo o que havia sobre a Terra.

· Abrão andou com DEUS, como resultado, teve seu nome mudado para Abraão, e recebeu de DEUS promessas infalíveis, e pode, mesmo na sua velhice, ver o início do cumprimento das promessas de DEUS.

· Jacó, neto de Abraão, andou com DEUS, e teve seu nome mudado para Israel (príncipe de DEUS), experimentando, ao longo de sua vida, o cuidado de DEUS.

O Caminho de DEUS é perfeito! É, também, muito mais elevado do que os nossos caminhos, assim como Seus pensamentos são muito mais elevados do que os nossos!

Naturalmente surge a pergunta: “Como andar com DEUS”?

─ Buscando a Sua face, examinando Sua Palavra, e rogando-LHE Sua direção em todas as coisas. E o mais importante: Rejeitar tudo o que contraria os princípios da Bíblia.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Sendo Transformados pela Renovação da Mente

Sendo Transformados – A Renovação da Mente

Leitura: RM. 12:1, 2

A escrever sua carta aos cristãos que estavam em Roma, por volta do ano 57 D.C. enquanto estava em Corinto – uma cidade litorânea do Peloponeso na Grécia, o apóstolo Paulo escreveu-lhes preciosas orientações, entre as quais estas do texto em estudo. Vejamos o teor do conselho, o motivo e o propósito...

Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de DEUS, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a DEUS, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, que para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de DEUS” (RM. 12:1,2)

Nessa passagem, Paulo faz um “rogo”, um pedido insistente porém em humildade. Seu pedido está baseado na misericórdia de DEUS e tem um alvo: que eles oferecessem seus corpos a DEUS como um sacrifício vivo, santo e agradável a DEUS.
Porque ele usa a expressão “sacrifício vivo”?
Como profundo conhecedor dos costumes judaicos, o apóstolo faz menção ao “sacrifício diário” citado no Antigo Testamento, que devia ser apresentado a DEUS – NM. 28:4. Na Antiga Aliança (Velho Testamento), quando alguém pecava e se dirigia ao templo (ou à Sinagoga) para apresentar-se diante de DEUS, não podia chegar de mãos vaziasÊX. 23:15; DT. 16:16 – era necessário levar um sacrifício, um animal para ser sacrificado (morto)HB. 9:22; LV. 4:35; 9:3.
Entretanto, com a vinda de JESUS, houve uma mudança com relação ao sacrifício... ELE próprio (JESUS) ofereceu-se como o “Cordeiro de DEUS” (JO. 1:29) em sacrifício no nosso lugar – RM. 5:8; 1 CO. 5:7; 1 TS. 5:10 e referências.
Hoje, para nos achegarmos a DEUS, já não temos que levar um sacrifício, mas vamos diante de DELE confiando no sacrifício de JESUS, vamos a DEUS “em Nome de JESUS” – JO. 14:13,14.
Contudo, para que sejamos aceitos diante de DEUS, para que “experimentemos Sua boa, agradável e perfeita vontade”, é necessário que apresentemos a ELE o nosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável...
Como é isso? Nossa carne clama por conforto, por prazeres – alguns até lícitos – por saciar seus instintos. Entretanto, o corpo deve nos servir, e não nós a ele. Quando o Reino de DEUS exigir, meu corpo deverá abrir mão de coisas lícitas: comer, beber, dormir... Meu corpo  tem que servir aos propósitos de DEUS, aos objetivos do Seu Reino!
Quando “imponho” ao meu corpo as prioridades do Reino de DEUS, estou tornando-me um “sacrifício vivo”. Porém, nessa passagem, o sacrifício não é um fim em si mesmo... O “fim” ou propósito é o “culto racional”, ou “adoração com entendimento”. DEUS deve ser adorado, e o homem, como ser dotado de inteligência e razão, deve adorar ao seu Criador de maneira “inteligente”. Outro detalhe: a forma de prestar esse “culto” ou “adoração” ─ “Santo e agradável a DEUS”.
O pedido de Paulo (na verdade de DEUS através do apóstolo) é no sentido de que o corpo seja mantido puro e santo – separado para DEUS – e também viva de forma agradável a DEUS.
Para que entendamos o que está envolvi nesse pedido, nessa “evolução ou desenvolvimento de conduta”, precisamos recorrer a outros textos. Comecemos com 2 Coríntios 6:14 – 7:1.

“Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos receberei; E eu serei para vós Pai, E vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso. Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus. (2 CO. 6:14-7:1)

Aqui encontramos alguns princípios que devem nortear-nos...
·         Não estar preso a um “jugo desigual” com infiéis
o  “jugo” é uma espécie de “canga”, usada, na agricultura, para emparelhar uma junta de animais de carga (dois bois, por exemplo). No texto, significa não ser “companheiro” de infiéis, pois a Palavra nos adverte que “as más conversações corrompem os bons costumes” (1 CO. 15:33) veja-se também PV. 13:20; 22:24.
o  Não há sociedade da justiça (fiel) com a injustiça (infiel);
o  Não há comunhão da luz (filho de DEUS) com as trevas (escravos de satanás);
o  Não há concórdia entre CRISTO e Belial (um demônio da noite);
o  Não há parte do fiel (discípulo de JESUS) com o infiel (religioso);
o  Não há consenso entre o templo de DEUS (nosso corpo – 1 CO. 3:16) com o templo dos ídolos;
o  Não tocar (se contaminar) com nada imundo (isso envolve o que vemos e ouvimos também);
o  “Sair” envolve santificação, separação de tudo o que desagrada a DEUS;
o  Purificar-se de “toda a imundícia” da carne e do espírito;
o  Aperfeiçoar a santificação no temor de DEUS.

Depois, no versículo 2, o apóstolo continua:

“E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente (ou do vosso entendimento), para que experimenteis qual seja a boa, perfeita e agradável vontade de DEUS”. (RM. 12:2)

Não vos conformeis com este mundo – aqui, o “conformar” tem o sentido de colocar-se em harmonia com, resignar-se, concordar, identificar-se... O pedido, então, de Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, é que o cristão não aceite a forma deste mundo, não se harmonize com este mundo, com o pensamento deste mundo, pelo contrário, que permita ter seu pensamento transformado pelo Espírito Santo, que suas faculdades sejam controladas pelo SENHOR, O ESPÍRITO, a fim de que, então, experimente a boa, perfeita e agradável vontade de DEUS.

Para refletirmos... 

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Chegamos ao Fim dos Tempos

Parte II

Leitura:

AT. 2:17; 2 TM. 3:1-8; RM. 1:21-31; GN. 18:20, 21; LC. 17:28-30; GN. 13:10-13; GN. 19:5; JD. 1:7; EZ. 16:49, 50…

Fomos colocados aqui pelo SENHOR para expandir o Seu Reino, para levar quantos pudermos ao conhecimento de DEUS, do verdadeiro DEUS – JESUS CRISTO, o SENHOR.

Ainda assim, precisamos estar vigiando e orando, porque há riscos, como em todo combate ou guerra! Por isso a Palavra adverte: “Aquele que cuida estar em pé, olhe para que não caia”.

GN. 18:20, 21

O “clamor” de Sodoma e Gomorra se tem multiplicado, e o seu pecado “se tem agravado muito”... Descerei e verei se “têm praticado segundo este clamor que é vindo até mim”.

Esta passagem nos mostra que um clamor, vindo de Sodoma e Gomorra provocou a reação do SENHOR! Evidentemente surge a pergunta: “Qual a fonte desse clamor, que subia de Sodoma até a Presença de DEUS, a ponto de o SENHOR descer para “ver” o que acontecia na cidade?

A resposta nós encontramos no Novo Testamento, em 2 Pedro 2:7, 8.

É interessante percebermos que Ló, sobrinho de Abraão, foi “atraído” para a região de Sodoma e Gomorra por conta das terras férteis e atraentes... Diz-nos a Bíblia que Ló foi “armando suas tendas até chegar a Sodoma” – GN. 13:10-13; 19:5.

Ló foi ocupando seu espaço naquela região, até que acabou chegando em Sodoma, uma cidade cujos homens eram maus e grandes pecadores diante do SENHOR. Os homens daquela cidade eram capazes de se juntar para praticar atos de violência sexual... Foram até a casa de Ló com a intenção de violentar sexualmente os dois homens (anjos) que Ló havia hospedado em sua casa... Que terrível!

Ló acaba percebendo seu erro... Escolhera morar numa cidade cujos “homens” eram extremamente maus e pecadores, a tal ponto que ele próprio começou a clamar a DEUS tamanha era a maldade do lugar!

Quantos filhos de DEUS, hoje, não cometem o mesmo erro de Ló? Acabam indo morar em uma cidade não em obediência a uma ordem de DEUS, mas sim por conta do conforto e comodidade que essa cidade lhe oferece! Depois, vivendo naquela cidade, não “levantam um clamor pela cidade”, como ordena a Palavra – JR. 29:7.

O sofrimento existente em cada cidade poderia sem dúvida alguma ser em muito reduzido – senão até eliminado – se o povo de DEUS que nela mora batalhasse por isso diante de DEUS em oração, pois nossa luta não é contra a carne e o sangue (EF. 6:12), ela não é travada no âmbito terrestre, mas sim no âmbito celestial... Não é com armas carnais, mas com armas espirituais – RM. 13:12; 2 CO. 10:4.

LC. 17:28-30

Por ocasião da volta de JESUS, a Bíblia nos relata que o quadro do mundo estará semelhante aos tempos de Ló em Sodoma...

JD. 1:7

Sodoma e Gomorra se corromperam “indo após outra carne” (praticando o homossexualismo, e inclusive a zoofilia – LV. 18:22-24).

EZ. 16:49-50

A maldade de Sodoma é revelada:

· Soberba;

· Fartura de pão, mas nunca ajudou o pobre e o necessitado (avareza);

· Abundância de ociosidade (preguiça, vadiagem, falta de trabalho, falta de utilidade).

Olhando com maior atenção para os textos citados, podemos ver que embora escritos há mais de 2.000 (dois mil) anos, eles retratam com fidelidade e riqueza de detalhes a geração dos dias em que vivemos.

É importante que compreendamos que a Bíblia Sagrada é a Palavra de DEUS escrita, e que tudo o que ela afirma é a verdade! Na Bíblia não há “mitos”, há fatos – quer já tenham acontecido (passado), estejam acontecendo (presente), ou ainda irão acontecer (futuro). Se aquilo que estivermos lendo na Bíblia ainda não houver acontecido e nem estiver acontecendo, certamente acontecerá. Portanto, atentemos diligentemente para as coisas que a Bíblia está nos mostrando.

Recentemente foi possível tomar conhecimento, por meio da tecnologia da informação, acontecimentos que têm chocado muitos pais e mães de nosso país, e foi possível ver até que nível chegou a depravação da sociedade atual, quando trataram como “arte” imagens e cenas que a Palavra de DEUS descreve como ignominiosas e perversas – a pura expressão da iniquidade.

Estamos no princípio das dores!

Nossa redenção se aproxima!

Enquanto ELE não chega, vamos nos armar e lutar...

Tudo nos mostra que CRISTO já volta,

Breve JESUS voltará!

Já deste mundo o mar se revolta,

Breve JESUS voltará!”

Breve virá! Breve virá! Breve JESUS voltará!

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Chegamos ao Fim dos Tempos

Leitura:

· AT. 2:17; 2 TM. 3:1-8; RM. 1:21-31; GN. 18:20, 21; LC. 17:28-30; GN. 13:10-13; GN. 19:5; JD. 1:7; EZ. 16:49, 50…

Parte I

Seja bem-vindo(a) novamente a este espaço virtual onde o propósito de cada artigo é despertar o(a) leitor(a) para a necessidade de um relacionamento pessoal com o SENHOR JESUS, e também para a iminente volta de CRISTO.

O tema de hoje é “Fim dos Tempos”, pois olhando à nossa volta podemos perceber muito nitidamente que estamos vivendo o fim dos tempos, como a Bíblia afirma, e como já está profetizado desde os tempos antigos pelos profetas do SENHOR.

Vejamos, separadamente, os textos supramencionados...

Atos 2:17

Aqui nós encontramos a promessa de DEUS, citada pelo profeta Joel, no Antigo Testamento, do “derramamento do Espírito Santo” sobre “toda a carne” nos últimos dias, de forma que:

a) Nossos filhos iriam profetizar (falar inspirados pelo Espírito Santo);

b) Os jovens teriam visões (veriam coisas reveladas pelo Espírito Santo) e

c) Os velhos teriam sonhos (receberiam, por sonhos, revelação do Espírito Santo).

2 Timóteo 3:1-8

Nos últimos dias, viriam “tempos trabalhosos” (ou ainda, tempos de muita fadiga). Porquê dessa afirmação? Quais as caraterísticas dos últimos dias? Vejamos o que este texto nos mostra:

· Homens “amantes de si mesmos”;

· Avarentos (apegados ao dinheiro, mesquinhos, miseráveis);

· Presunçosos (que se julgam melhores que os outros);

· Soberbos (arrogantes, vaidosos; avarentos);

· Blasfemos (que insultam aquilo que é santo ou sagrado);

· Desobedientes à pais e mães (rebeldes);

· Ingratos (estéreis, improdutivos; sem gratidão);

· Profanos (que se opõe ao que é sagrado);

· Sem afeto natural (sem afeição natural);

· Irreconciliáveis (que não se pode reconciliar);

· Caluniadores (difamadores, que dizem calúnias; que inventam mentiras ofensivas);

· Incontinentes (sem moderação, descomedidos; sem comedida sexual);

· Cruéis (que tem prazer em fazer o mal);

· Sem amor para com os bons;

· Traidores (desleais);

· Obstinados (teimosos, que não cedem; inflexíveis);

· Orgulhosos (altivos);

· Mais amigos dos deleites, do que amigos de DEUS (amam mais os prazeres do que o SENHOR);

· Tendo aparência de piedade, mas negando sua eficácia (aparentam respeito pelas coisas sagradas, aparentam ter compaixão, mas não têm);

· Pessoas que se introduzem pelas casas e levam cativas as mulheres néscias, carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências (que entram nas casas e aprisionam mulheres ignorantes, estúpidas, as quais são levadas por sua atração pelos prazeres materiais ou sensuais);

· Que aprendem sempre e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade;

· Pessoas que resistem à verdade, sendo

· Corruptos de entendimento (tendo seu entendimento estragado) e

· Réprobos quanto à fé (cuja fé foi reprovada, estando condenados).

RM. 1:21-31

Nessa passagem das Escrituras Sagradas, nos é dito que os homens não glorificam a DEUS nem Lhe dão graças (são ingratos), e em seus discursos, se desvaneceram (envaideceram, frustraram), e seu coração insensato (louco, leviano) se obscureceu (perdeu a luz). Dizendo-se sábios (que sabem muito), tornaram-se loucos (perderam a razão, o raciocínio). Mudaram a glória do DEUS incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível e de aves, quadrúpedes e répteis (passaram a adorar imagens de escultura, não apenas de pessoas, mas também de animais). Por essa causa, DEUS os entregou às concupiscências (atração pelo prazer material ou sensual) do seu coração. Estão “entregues à imundícia” (entregues à imundície, ao que é sujo, imundo aos olhos de DEUS), para desonrarem seus corpos entre si (tirarem a honra/dignidade uns dos outros). Pois “mudaram a verdade de DEUS em mentira”, honrando e servindo mais a criatura do que ao CRIADOR. A sociedade abertamente afirma que a Verdade de DEUS é apenas um “mito”, um “conto mitológico, mentiroso”, e preferem servir às criaturas (basta vermos o tratamento dado aos animais hoje em dia, e a própria “adoração” à ídolos – do que servir ao CRIADOR (JESUS CRISTO).

Estão entregues às suas paixões (sentimentos intensos e normalmente violentos) infames (torpes, vís, abjetos, desprezíveis). Nessa passagem já alerta contra o homossexualismo e o lesbianismo, ao afirmar que “as mulheres mudaram o uso natural no contrário à natureza, e semelhantemente, também, os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade (luxúria, volúpia) uns para com os outros, homem com homem, cometendo torpeza (atos impudicos, sem pudor ou vergonha – e ofensivos)...

Por não se importarem em conhecer a DEUS (v. 28), foram por ELE entregues a um sentimento perverso (desviado do que é bom e correto, vicioso, corrupto, malvado), para fazerem coisas que não convém.

Estão “cheios” de toda...

· Iniquidade (injustiça, corrupção dos bons costumes; injustiça; prática do pecado);

· Prostituição (exploração sexual; rebaixamento);

· Malícia (tendência para o mal; provocação; dissimulação; astúcia);

· Avareza (preocupação excessiva com acumulação de bens; falta de generosidade);

· Maldade (propensão para o mal; crueldade; perversidade; intenção maliciosa; malícia);

· Inveja (cobiça; desejo de possuir o que o outro tem);

· Homicídio (assassinato; levar outros à morte);

· Contenda (disputa; discussão; conflito; luta; guerra);

· Engano (artimanha para iludir; erro; ilusão);

· Malignidade (maldade; inclinação para o mal; moralmente mau; maldoso);

· Murmuradores (falam mal dos outros; maldizentes);

· Detratores (difamadores);

· Aborrecedores de DEUS (que aborrecem a DEUS);

· Injuriadores (são insultantes, buscam a desonra do próximo; ofensivos; insultantes);

· Soberbos*;

· Presunçosos*;

· Inventores de males (que promovem o mal);

· Desobedientes ao pai e à mãe*;

· Néscios (ignorantes, estúpidos, ineptos; sem sensatez);

· Infiéis nos contratos (traidores e desleais; que não cumprem seus compromissos);

· Sem afeição natural*;

· Irreconciliáveis*;

· Sem misericórdia (sem piedade; que não se compadece com a desgraça alheia);

Esses textos, por si só, já mostram a situação do mundo no qual estamos. Nem precisaríamos olhar os textos seguintes..., todavia, o propósito deste artigo não é apenas mostrar que estamos no fim dos tempos, mas também trazer um alerta para os perigos que cada cristão corre pelo simples fato de estar aqui

Continua…

terça-feira, 26 de setembro de 2017

O ALVO

Leitura: FP. 3:14

caminhoObjetivos fazem parte da experiência humana, e isto desde a sua infância.

A partir do momento que está consciente de si, o ser humano aprende a buscar objetivos. aprende a conquistar metas, a “atingir alvos”.

Na sua infância, quando suas vontades começam a fazer exigências, a criança cria em seu intelecto de infante estratégias para conseguir o que deseja.

Pode pedir para seus pais ou para quem possa atender seu pedido. Se a petição falha, a criança usa o choro, a manha, a birra, a chantagem emocional… Tudo é válido para obter o que deseja. A criança é capaz de muitas peripécias para conquistar o que deseja, para “atingir seu alvo”.

Não faz diferença se o alvo é um passeio, um doce, um presente ou um brinquedo… Uma criança lança mão de todos os seus recursos para atingí-lo.

Ao entrar na escola, novos alvos são somados aos que antes já possuía… Agora vem a necessidade de “aprovação”, de “aceitação” no novo círculo de amizades… E novamente o arsenal da criança se mostra muito variado.

Chega a chamada “adolescência”, quando sua natureza adâmica está em franca ebulição; e lá vai o sujeito em busca de “novos alvos”. Para a sociedade corrompida, o prazer é tudo que importa. O “adolescente” ─ termo criado pelo mundo para quem está entre a idade infantil e a idade adulta ─ começa, então, a dar vazão aos seus sentidos e desejos. O “adolescente” quer ser o “dono do seu nariz” e começa a desafiar as regras da sociedade. Seu alvo é “conquistar seu espaço”, “viver suas aventuras”. No fundo, na verdade, essa pessoa quer é encontrar o seu próprio papel e lugar no mundo. É preciso dar-lhes um “Norte”!

Chega a juventude, a fase adulta… Novos alvos! Uma formação, a independência financeira, uma pessoa com quem partilhar seus momentos… A realização profissional, a felicidade!

Na maturidade, o alvo pode ser a realização de seus sonhos… Um lar, uma casa, um carro, dinheiro…

Em todas essas fases, metas, objetivos, alvos, ninugém põe como alvo a morte! E ela é a única certeza que acompanha todos os seres humanos.

Entretanto, quantos contam com ela e se preparam para ela?

Em nosso âmago, a ânsia é pela vida! Todos ansiamos por ter uma vida plena, abundante! Mas, quantos, de fato, a encontram?

Na realidade, são poucos os que encontram a vida plena! A vida abundante!

E nessa busca por uma vida “feliz”, onde o “alvo” é a felicidade, a humanidade tem enveredado por sendas que, longe de conduzí-la à felicidade, tem roubado dela os últimos resquícios da semelhança com o Criador.

Alvos errados pressupõem objetivos errados e caminhos errados.

E quanto aos seus alvos? O que voê tem posto como o alvo de sua vida?

Veja: Supondo que alguém coloque como “alvo” o “ser médico”… Ambos sabemos ─ você e eu ─ que ninguém vira médico da noite para o dia! Para que seja um médico, é preciso estudar muitos anos, submeter-se a um rígido aprendizado teórico e prático, e depois, somente depois, se “forma” um médico. Um médico não “nasce”, ele é “formado”, através de muito estudo e prática…

O mesmo se dá com a vida humana – Você precisa ter bem certo qual seu “alvo” para, então, lutar para atingí-lo! Só um detalhe: lembre-se de que sua vida terrena é apenas uma sombra da eternidade. Lembre-se de que, se seu corpo tombar morto, sua alma entrará na eternidade! Se isto acontecer agora, você está preparado(a)?

Comece desde já a colocar como “alvo” a eternidade, e verá que suas prioridades mudarão!

De que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro, e perder a sua alma?