quinta-feira, 24 de março de 2016

JESUS não é Miguel…

a volta de Jesus

Leitura Bíblica

IS. 9:6; 10:20,21; JR. 32:18

JO. 20:28

HB. 1:2,3

MT. 28:18

AP. 1:7,8 (o Todo Poderoso) 22:12,13,20; 21:6; 1:17,18

HB. 1:6-8 (v. 10 compare-se com JO. 1:1-3, 10)

AP. 2:8 – IS. 48:12,13 – AP. 22:13

AP. 22:8,9; 19:10

AT. 2:36 / FP. 2:11 / JD. 9

DN. 10:13 --- O “príncipe da Pérsia... Miguel “um dos primeiros príncipes”.

DN. 10:21---- Miguel, “vosso (de Israel) príncipe”.

DN. 12:1 --- Miguel, o... príncipe que “se levanta pelos filhos do teu povo”.

JD. 9 --- O “Arcanjo” (príncipe de anjos) Miguel

AP. 12:9 --- Miguel e seus anjos.

Basta um exame desses textos para vermos que JESUS – “o” Príncipe da Salvação – HB. 2:10 – não é Miguel – o “príncipe de Israel” – DN. 12:1.

Ao examinarmos as passagens acima podemos concluir que:

Em Relação à Miguel

JD. 9 menciona Miguel como sendo um “arcanjo”; enquanto que o texto de DN. 10:13 nos mostra que ele é “um dos primeiros príncipes”.

DN. 10:13, 20, 21 mencionam Miguel como sendo o “príncipe de Israel” (Nação), mencionando ainda outros “dois príncipes” – o “príncipe do reino da Pérsia (príncipe dos persas) e o “príncipe da Grécia”.

De acordo com EF. 6:12 há “principados” e também “príncipes” espirituais nas regiões celestiais...

Inferimos, pois, de tais passagens, que embora o termo “arcanjo” seja citado uma única vez na Bíblia, associado apenas a Miguel, tal termo significa “um príncipe de anjos”, e mais ainda, que tal “principado” tem como jurisdição ou território uma Nação, ou um país; pois os textos mencionados citam dois outros “príncipes” de mesmo nível que Miguel. Logo, tais “príncipes” (dos Persas e da Grécia) são, também, arcanjos. Miguel tem seu nome citado por ser o arcanjo da nação com a qual DEUS fez uma aliança.

Já os textos de CL. 1:16-19; JO. 1:1-3; AT. 2:36; FP. 2:11; JD. 9; mostram que Miguel e JESUS são pessoas distintas, não são a mesma pessoa, pois Miguel falou que somente o SENHOR (JESUS) podia repreender a Satanás: “... o SENHOR te repreenda”. “E toda língua confesse que JESUS CRISTO É O SENHOR...”.

Também em AT. 9:4,5 o SENHOR se apresenta a Saulo como “JESUS” e não como “Miguel”. O texto de 1 TS. 4:16 usado para afirmar que JESUS é o arcanjo Miguel é torcido de seu contexto, para forçar tal entendimento... Vejamos:

“... o mesmo SENHOR descerá do céu com alarido e com voz de arcanjo e com a trombeta de DEUS...”

O que o texto fala é que “o alarido”, a “voz de arcanjo” e a “trombeta de DEUS” acompanharão a volta do SENHOR JESUS, e não que ELE descerá gritando com voz de arcanjo e tocando a trombeta!

A Palavra de DEUS deixa claro que a volta do SENHOR JESUS ocorrerá “ao som da última (sétima) trombeta – 1 CO. 15:52; MT. 24:31; AP. 11:15-18. Quem estará tocando a trombeta será um anjo, e não JESUS, da mesma forma, sendo Miguel o responsável pela nação de Israel, muito provavelmente será Miguel que fará “a chamada” do povo de Israel.

Os príncipes e principados espirituais foram criados por JESUS (CL. 1:16), e somente ELE tem “todo o poder” (MT. 28:18) sendo, portanto, “Todo Poderoso” (ver GN. 17:1).

O mesmo não acontece com Miguel, pois este, sendo um arcanjo (príncipe de anjos), é inferior a satanás, que é um “querubim ungido” – EZ. 28:14.

Na epístola de Judas (irmão de JESUS), DEUS, por meio de Judas está advertindo a que não falemos mal ou “contra” as autoridades (ver RM. 13:1,2), e cita Miguel, o arcanjo, como exemplo. Miguel, ao contender com satanás sobre o corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo infamatório contra o diabo. Por quê? Pelo fato de que na hierarquia espiritual Miguel é “inferior” à Satanás, o qual é um querubim, sendo, pois, superior a um arcanjo.

Fica evidente, nesse texto de Judas, que embora satanás seja inimigo de DEUS, ele é superior à Miguel, sendo, portanto, uma “autoridade espiritual acima dele”.

Não é o caso de JESUS!

Seu Nome está acima de todo nome (FP. 2:9) e diante dELE todo joelho se dobrará (FP. 2:9-11).

As Escrituras nos mostram que os seres angelicais não podem ser adorados – AP. 19:10; 22:8,9. JESUS repreendeu o Diabo (coisa que Miguel não podia fazer), quando o Diabo veio à JESUS e ofereceu-lhe as riquezas desse mundo se JESUS o adorasse.

Embora sendo um “querubim ungido”, nem mesmo Satanás deve ser adorado. JESUS afirma: “ao SENHOR teu DEUS, adorarás, e só a ELE servirás” – MT. 4:10; LC. 4:8.

Os seres espirituais sabem que somente DEUS deve ser adorado; somente esse querubim (outrora chamado Lúcifer – o portador da luz, ou “estrela da manhã / IS. 14:12-14) ousou desejar ser “semelhante ao Altíssimo”, cobiçando para si próprio aquilo que somente a DEUS pertence – a adoração.

Por esse motivo foi “condenado ao inferno”, para o “fogo eterno” preparado para ele e seus anjos – IS. 14:5; MT. 25:41.

A ideia de que, antes de nascer como homem JESUS era o arcanjo Miguel, e que depois de haver morrido como homem, voltou a ser o arcanjo Miguel, é refutadas pelas Escrituras. Basta examinarmos, sobre isto, os seguintes textos:

JO. 1:1-3, 10, 14

MT. 1:21-23

IS. 9:6

GN. 17:1; JO. 1:18

LC. 24:37-39

AT. 1:11; 3:20, 21; 9:1-5

E referências…

JESUS ressuscitou. O termo “ressuscitar” indica “voltar à vida”. ELE voltou à viver, e isto com Seu próprio corpo de carne e ossosLC. 24:37-39. Seu sangue foi totalmente derramado na cruz, como preço pela nossa salvação (AT. 20:28).

É interessante perceber, também, que em todas as suas aparições (após Sua ressurreição), JESUS sempre se identifica e se apresenta como sendo o homem JESUS, e não como Miguel o arcanjo – (1 TM. 2:5).

domingo, 13 de março de 2016

ROUBANDO CORAÇÕES

Leituras: Provérbios 4:23 / Josué 24:23 / 1 Samuel 7:3

Embora pareça título de um “romance”, esse termo mostra uma realidade que cem acontecendo muito antes da existência humana, e que tomou uma dimensão muito maior a partir do surgimento da humanidade.

Com a expressão “roubar o coração”, pretendo que você entenda “desviar do alvo” ou “chamar sua atenção” ou “conquistar um espaço”. Nos romances, quando alguém diz “você roubou meu coração”, significa que aquela pessoa é, agora, o alvo das atenções e esforços, que quem que “teve o coração roubado”, viverá em função de “agradar aquela que rouboou o coração”.

No princípio de tudo, quando DEUS criou o universo por meio da Sua Palavra – GN. 1:1; HB. 11:2 – criou também seres espirituais, chamados “filhos de DEUS”, ou, às vezes, de “estrelas” – Jó 1:6; 38:7.

Diz-nos a Bíblia que entre esses seres espirituais criados por DEUS, havia um “querubim ungido”, um ser de extrema beleza – perfeito em formosura. Esse ser deixou que o orgulho surgisse em seu coração, e ambicionou ser igual a DEUS – IS. 14:12-14 – e conseguiu levar após si 1/3 (um terço) dos anjos do céu – AP. 12:3-9, “roubando-lhes o coração” (2 SM. 15:3-6). Esse querubim veio a tornar-se “satanás”, um inimigo e adversário de DEUS, ou, mais precisamente, da criação Divina, principalmente da humanidade, do homem feito à imagem e semelhança de DEUS.

Como “adversário” (satanás), esse ser passou a falar mal do Criador, criar calúnias e mentiras contra DEUS; tornou-se, portanto, um “diabo” (mentiroso, caluniador). Assim, após haver “roubado o coração” de 1/3 dos anjos do céu, novamente se aproxima de outra criação de DEUS (Eva) para também roubar o coração dela.

Satanás “seduziu” Eva, enganando-a e levando-a à percar (2 CO. 11:3; GN. 3:1,4,5; GN. 3:13). Logo após haver pecado, Eva insurge-se contra a ordem estabelecida por DEUS, onde o homem é seu “cabeça”, e ela mesma convence Adão a pecar… O homem, então, “dá ouvidos à voz da mulher” e, sem ser enganado, escolhe deliberadamente pecar – GN. 3:17. Desse modo, o diabo roubou da humanidade a glória de DEUS (RM. 3:23), e o governo da Terra, outrora entregue ao homem, é, então, entregue por Adão ao próprio diabo – LC. 4:5,6; 1 JO. 5:19).

Voltando para os dias atuais, o que tem ocupado “nosso coração”? DT. 6:5 nos diz que devemos amar ao SENHOR de todo o coração. A ordem para amá-LO de “todo o coração” nos mostra que nosso coração (foco, motivação, objetivo) deve estar totalmente centralizado em DEUS, voltado para ELE.

Lamentavelmente, contudo, muitas coisas têm “roubado nosso coração”… O mundo (satanás) oferece muitas “distrações”, muitas coisas “atraentes”, coisas que têm “enchido nossa mente”, “ocupado nosso tempo”… Preocupações diárias com trabalho, preços, inflação, família, filhos, cônjuge, diversão, etc. Se descuidarmos, acabamos não separando um tempo para aquilo que realmente é importante: a eternidade, a comunhão com DEUS.

O príncipe deste mundo – Satanás – trabalha dioturnamente de todas as formas para que nosso coração esteja tão envolvido com este mundo, que não tenhamos tempo para buscar a DEUS.

Gostaria de refletir com você sobre o uso que fazemos de nosso tempo…

Independentemente do nível social ou cultural das pessoas, de sua etnia, de onde moram, todos têm 24 horas de tempo por dia para “administrar”.

E como será que as pessoas administram esse tempo? Vou dar um exemplo de tabela para “organizar o tempo” – sugiro que você faça sua própria tabela, para ver quais são suas prioridades de vida. Sugiro que seja totalmente sincero(a) ao colocar o tempo gasto nessas atividades.

Enfim, reflitamos em como gastamos nosso tempo… O que todos tempos em comum.

OCUPAÇÃO / ATIVIDADE

Tempo Disponível (hs) 24:00

Dormir

8:00

Higiene pessoal (manhã)

00:30

Desjejum (café da manhã)

00:30

Deslocamento p/ Escola ou Trabalho

1:00

Deslocamento para Casa

1:00

Jornada de Trabalho (Comercial)

8:00

Refeições (Almoço e Janta)

2:00

SUB-TOTAL

21:00

Saldo

3:00

Quanto Gastarei Buscando a DEUS………….  ?
  Lazer/Diversão…………….   ?
  Tempo com a família…….    ?
Através dessa simples porém prática tabela, podemos avaliar o que, de fato, é importante para nós.

sábado, 12 de março de 2016

A MISSÃO DE UM DISCÍPULO DE JESUS

Leitura: MT. 28:18-20; MC. 16:15,16; AT. 1:8; 2:38-41; 1 PE. 2:9

Nos momentos finais do SENHOR JESUS aqui na Terra, antes de ascender aos céus, ELE delegou aos Seus discípulos uma missão…
JESUS lhes deu a seguinte ordem: “Ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que EU vos tenho mandado…” (MT. 28:19)

Para cumprir essa missão, cada discípulo de JESUS deve ser “uma testemunha” de JESUS (AT. 1:8), anunciando as virtudes daquEle que nos chamou das trevas para Sua maravilhosa luz (1 PE. 2:9). Não é necessário ser um “pregador eloquente”; basta partilhar com as pessoas com quem convive, o que JESUS tem feito em sua própria vida – JO. 4:29-42.

Quatro Ações / Atitudes

Cada discípulo de JESUS, após ter experimentado o novo nascimento, ter sido batizado, ensinado e revestido pelo Espírito Santo, deve manifestar quatro atitudes:
1a. Atitude – “Ide”! Esse verbo está no imperativo, indicando uma “ordem”, um “mandamento”. Ide indica que é preciso “ir”, mover-se em direção aos homens, às pessoas que não estão sob o governo de DEUS. Isto se aplica tanto à incrédulos quanto à religiosos. “Ir” é “sair” da comodidade e do conforto e “lançar a semente”, semear a Palavra de DEUS – MC. 4:14.

2a. Atitude – “Ensinai” ou “fazei discípulos” – MT. 28:19. Essa ação de “ensinar”, aqui, estsá referindo-se à doutrina de JESUS CRISTO (2 JO. 9,10; AT. 2:42; 1 TM. 6:3-10; …), e não à qualquer filosofia, dogma ou ensinos dos homens, voltados ao lucro e ao interesse próprios. É ensinar o que JESUS ensinou, o que os apóstolos ensinaram, o que a Bíblia ensina… não “torcendo” as Escrituras de acordo com a conveniência humana.

3a. Atitude – “Batizando-os”. Quem faz um discípulo de JESUS é responsável por “batizar” e “cuidar” do neófito (novato na fé).

4a. Atitude – “Ensinando-os a guardar todas as coisas que EU vos tenho ordenado”. É preciso que o discípulo aprenda “todas as coisas que JESUS ensinou e mandou”.

Nessas quatro atitudes podemos diferenciar os discípulos de JESUS dos demais religiosos, dos que ensinam “doutrinas dos homens” em contra-posição à doutrina de CRISTO (MT. 15:9,13,14).

Que tipo de doutrina estamos recebendo?
Em nossos dias as pessoas correm de uma parte para outra, buscam ouvir algo que faça com que “se sintam bem”… Que “massageie seus egos”, que lhes dê esperança

Em troca disto, multidões estãos dispostas a investir tudo o que têm, e muitos têm se servido desa ânsia do ser humano pelo sobrenatural, pelo “diferente”, para criar seus sistemas religiosos capitalistas, com os quais têm enriquecido às custas do dinheiro alheio e da ignorância do povo.

Pseudo-pastores (se fossem verdadeiros, iriam conduzir o povo à uma só fé – EF. 4:2-6, 11-16 – e não à tantos “tipos de fé” diferentes) têm conduzido as pessoas por meio de ensinos contrários à Palavra de DEUS, pois têm torcido o sentido das Escrituras de acordo com suas conveniências. Têm mistificado o mundo espiritual e induzido multidões ao engano, torcendo ou invertendo aquilo que a Palavra de DEUS nos ensina.

Os dízimos e ofertas que os apóstolos usavam para surir as necessidades dos discípulos (AT. 2:45; 4:32-35), hoje são usados para construir e manter belos e suntuosos templos. Um desperdício de recursos, se compreendermos Atos 7:48 e 17:24.

Objetos “ungidos” são apresentados ao povo como tendo “influência sobrenatural” ou “poderes místicos” para socorrer as pessoas em seus dilemas. Assim, um “sabonete ungido” pode ajudar quem lavar-se com ele, curando doenças ou coisas do tipo. Uma “caneta ungida” seria uma grande ajuda para “passar em concursos públicos” e nas “provas escolares”, etc. Pura “feitiçaria gospel”!

Lançam sobre diversos objetos a força psíquica de suas almas, para atender suas conveniências e desejos, e ousam usar DEUS e Sua Palavra para justificar os absurdos praticados por sua religião.

No passado, a chamada “Igreja Católica Apostólica Romana” usou a ignorância de seus fiéis para matar milhares de cristãos e queimar milhares de Bíblias, no período da história chamada “Inquisição”. Depois, no período das “Cruzadas”, mandou milhares de pessoas ao genocídio. Mas tudo isso foi feito “em Nome de Deus”… E há quem considere essa religião como sendo a “Igreja de JESUS” citada em Mateus 18. Quão longe estão da verdade! Veja-se, por exemplo, o mandamento para os “bispos” em 1 Timóteo 3:1-10… E compare com a prática do catolicismo romano…

O mesmo ocorre com as outras religiões! Sempre usam passagens bíblicas fora do seu contexto para criar suas doutrinas, tais como dizer que o “templo” é “a casa de DEUS”, usando o Salmo 122:1 associado com 1 Timóteo 3:15, ignorando, de todo, o que está dito em Atos 7:48 e 17:24 associado com Hebreus 3:6 e 1 Pedro 2:5.

Além, é claro, de muitos outros textos que são torcidos para atender Às suas próprias conveniências. Atualmente surgem grupos e filosofias, religiões e templos… Há crenças para todos os gostos… Entretanto, cada uma e todas elas são reprovadas por DEUS e pela Sua Palavra, pois “DEUS não é Deus de confusão” – 1 Coríntios 14:33.

quarta-feira, 9 de março de 2016

SAI DELA, POVO MEU

“E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados e para que não incorras nas suas pragas”. (AP. 18:4)

Temos aqui uma ordem de DEUS, uma clara ordem para o Seu povo. Todo aquele que nasceu de DEUS, que faz parte do Seu povo, deve atender a este chamado.

Eu mesmo já respondi à este chamado e obedeci a essa ordem há alguns anos atrás (1985), e nunca me arrependi.

Contudo, é preciso compreender a história e o contexto de tal chamado e ordem. Examine, portanto, com atenção as linhas a seguir…

Quem é “Babilônia”

Resultado de imagem para sai dela, povo meuEm AP. 17:1-6 encontramos a menção de duas “figuras”: a “Grande Prostituta” e a “Grande Babilônia”.
É importante compreendermos que neste livro, que é o último da Bíblia, encontramos muitos “símbolos” e “figuras’, cuja compreensão depende dos outros livros que o antecedem na Bíblia. É preciso que usemos a própria Bíblia para interpretar a Bíblia.

Assim, descobrimos que o povo de DEUS é apresentado “simbolicamente” como sendo uma “mulher” (veja-se EZ. 16:1-13; 2 CO. 11:2 etc.).

No Novo Testamento, essa “figura” de mulher, antes atribuída à Israel, é agora atribuída à Igreja2 CO. 11:2; AP. 21:9,10; EF. 1:20-22; AP. 21:14; MT. 5:14

Pois, através da cruz, JESUS cancelou, “derrubou” a “separação” entre judeus e gentios (não judeus) (EF. 2:11-19).

Finalmente, temos na Bíblia duas “mulheres”:
1) A Igreja, hoje chamada “o Corpo de CRISTO” – EF. 1:22,23; CL. 1:24
2) A “Grande Prostituta” (AP. 17:1, 3-6) em cuja testa há uma inscrição com os dizeres “… a Grande Babilônia, a Mãe das Prostituições e Abominações da Terra”.

Cabe aqui refletir sobre a diferença entre uma “esposa” e uma “prostituta”… Enquanto a esposa se dedica, por amor, ao seu único marido, a prostituta, por dinheiro, agrada aqueles que a pagam. A esposa se mantém pura, a prostituta, ao contrário, “se mistura” por conta de suas relações com muitos homens. A esposa “é de um só”, enquanto que a prostituta “é de muitos”. Logo, a esposa é a Igreja, e a prostituta é uma “grande religião” que perseguiu e matou muitos cristãos – AP. 17:6.

Desvendando o “Mistério”

Ao olharmos Apocalipse 17:6, fica muito fácil identificar, na história, quem é essa “Grande Prostituta”: Roma! O império romano, em seu início, e depois a própria “Igreja Católica Apostólica Romana” perseguiu e matou muitos cristãos. Por sua história e por suas doutrinas e práticas, o catolicismo romano demonstra ser a “Grande Prostituta”.

É interessante, porém, vermos que ela é a “mãe” das prostituições e abominações da Terra. Aqui, então, é dito que as abominações e prostituições da Terra são “filhas” dessa “mulher”. Essa “prostituta”, que está “adornada” de ouro, pedras preciosas e pérolas e tem na mão “um cálice de ouro” cheio das “abominações e da imundícia da sua prostituição”.

Preste atenção à AP. 17:1, 2, 3. O verso 3 afirma que “a besta” guiada pela “prostituta” está “cheia de nomes de blasfêmia”. Isso é tremendo! É forte! É, também, muito revelador!

No capítulo 18 de Apocalipse encontramos “Babilônia” comercializando “corpos” e “almas” de homens – AP. 18:2, 3, 13 (compare com o que diz 2 PE. 2:1-3).

Voltemos agora à questão da “prostituta”… Ela “comercializa” sua “beleza” e “seus agrados”. A prostituta proporciona “prazer”, mas ela “cobra” pelo prazer. Nos textos vistos, os homens são “embiagados” com o “vinho da sua prostituição” que está em um “cálice de ouro” na mão da prostituta. Todos sabemos qual o efeito da embriaguez no homem… Ele perde a capacidade de raciocínio e seus sentidos ficam “embotados” ou “confusos”. Oséias 4:11 afirma que “o vinho, e o mosto tiram a inteligência”.

Assim, embora a prostituta tenha na mão um “cálice de ouro”, no interior desse cálice há um vinho de prostituição, uma “bebida” que faz com que os homens “se prostituam” (AP. 17:3, 18:3).

É importante perceber também que a prostituta está “adornada” com ouro, pedras preciosas e pérolas (AP. 17:4), ao passo que a “esposa do Cordeiro” é “constituída” ou “formada” por tais materiais (AP. 21:9-21).

Essa mesma “prostituta” está assentada sobre uma “besta” “cheia de nomes de blasfêmia” (vs.3). Ora, “blasfemar”, na Bíblia, é atribuir a DEUS algo contrário à Sua natureza santa e perfeitamente justa, ou reivindicar para si algo que pertence a DEUS – MT. 9:3; 26:63-65; e refs.

Se, portanto, a prostituta “mãe” é a chamada “Igreja Católica”, quem seriam as “filhas”, se não as demais “religiões” ou “denominações” a que os homens chamam erroneamente de “igrejas”?

Se entendermos que JESUS morreu para reunir num só Corpo os filhos de DEUS que andavam dispersos (JO. 11:51,52), e se compreendermos que DEUS não é DEUS de confusão (1 CO. 14:33), e também que DEUS abomina quem semeia contenda entre irmãos (PV. 6:16-19), não há como não vermos que os “nomes de blasfêmias” citados em Apocalipse, são os “nomes” que os homens dão à cada “divisão” que fazem enre os filhos de DEUS, associando o nome de DEUS aos seus “partidos” e “facções” religiosas. Nomes como “Assembléia de Deus”, “Igreja Católica Apostólica Romana”, “Congregação Cristã”, “Igreja Adventista do Sétimo Dia”, “Igreja de Deus”, e tantas outras cujo espaço aqui seria pouco para nominar uma a uma; tais nomes apenas “ofendem a Santidade de DEUS”, pois todas essas facções são reprovadas por DEUS em Sua Palavra. Examina…
1 CO. 3:1-3; 12:4-25; EF. 4:1-6; 11-16; TG. 3:14-17; GL. 5:19-21 (dissensões = divisões, facções).

Por causa disto, o convite de DEUS em Apocalipse 18:4

DEUS conclama Seu povo a que pare de se prostituir, que pare de beber o vinho da “grande prostituta”, e também de “suas filhas”…

Muitos estão confortáveis em suas religiões! Lêem a Bíblia, pregam, cantam, oram… Cada dia surgem novas assim chamadas “igrejas” (vou tratá-las, a partir de agora, de “hegrejas” para dar a entender a “heresia” dessa nomenclatura).
Na verdade, o Diabo não se opõe a que abram tantas “hegrejas”, e até coopera para que surjam. Sabe por quê?

Porque ele próprio, o diabo, é a mente articuladora que fomenta tantas religiões e “divisões’; elas são a forma de ele dividir o Reino de DEUS – LC. 11:17, 18; MT. 12:25… Com tantas divisões, os filhos de DEUS se mantêm “inconstantes” e “levados em roda por todo vento de doutrina” – EF. 4:14.

O diabo mantém, por meio das religiões, os filhos de DEUS no engano, dispersos e divididos. Permanecem como “meninos”, e não amadurecem para se tornarem soldados.

Em verdade, Satanás não quer que vivam o Evangelho do Reino, não quer que “sejam Um”, pois isto iria trazer o Reino de DEUS para o lugar onde hoje as pessoas estão. Veja AT. 2:42-47; 4:32-35

DEUS chama os Seus a ELE!

Sai dela, povo meu!

E você? Vai sair, ou vai ficar?

Ou você “ama mais a glória dos homens do que a glória de DEUS” (JO. 12:42, 43)?

JESUS disse que “quem nEle crê não permanece nas trevas” (JO. 16:46).

Se estamos participando de algo que DEUS reprova, e ao sermos confrontados com a Verdade, escolhemos continuar participando, isso mostra que não amamos a verdade, antes preferimos a mentira. Reflita em 2 TS. 2:9-12.

O fato de ocorrerem “sinais” e “maravilhas” no meio de uma religião, não prova que DEUS aprova tal religião – MT. 7:21-23; a mentira (o Diabo) também faz “prodígios” (AP. 13:11-13; 16:13-14).

Contanto que afaste os homens da Verdade, o Diabo é mestre no engano.

Mas, voltando ao chamamento…

Sai dela, povo meu!

O que você fará?

terça-feira, 8 de março de 2016

NO QUE ACREDITAMOS

Leitura: 2 CO. 4:18; 5:7; JO. 20:29; 17:17; e referências.

No texto de João, capítulo 20 e versículo 29, nós encontramos JESUS apresentando à Tomé as provas de Sua ressurreição. Tomé, à semelhança de muitos em nosso tempo, só acredita naquilo que podia “ver”.

Pessoas desse tipo, têm dificuldade em crêr, pois não conseguem assimilar o mundo invisível, são pessoas que vivem em função do mundo físico, só acreditam no que podem ver e sentir. Para tais pessoas, muito daquilo que está nas Escrituras é mera “teoria” ou “mito”. Não crêem que seja, de fato, algo real ou que possamos desfrutar hoje.

Não estou me referindo unicamente aos dons sobrenaturais do Espírito Santo, mas também em à muitas verdades da Palavra de DEUS.

O apêlo e atração que o mundo material exerce sobre nós, e a influência que a razão humana tem, é algo terrível, pois o mundo físico, embora governado pelo mundo espiritual, luta para governar os homens, dominando-os.

É preciso que entendamos, entretanto, que nem sempre o que vemos é verdadeiro ou real, e que o fato de não vermos algo não significa que não exista. A nossa percepção ou não de algo depende, e muito, de nossa capacidade e sensibilidade para isso. Por exemplo, as cores são reais, elas existem. O mundo à nossa volta está repleto de cores… Mas um cego não as percebe! A visõ de alguém está diretamente relacionado com o grau de sua visão; se seus olhos estiverem com algum problema, então sua visão estará comprometida. Também é assim com relação ao mundo espiritual.

Mas agora quero chamar sua atenção para a Palavra de DEUS! Gostaria, em relação à Bíblia, que refletisse em duas perguntas:
1. Eu considero a Bíblia Sagrada como sendo, de fato, o falar de DEUS?
2. Eu considero a Bíblia Sagrada como sendo a Verdade?

Vou considerar que você, assim como eu, tenha respondido “sim” à ambas as perguntas. E vou agora convidar você a ler alguns textos e a responder para si mesmo, pelo menos às  três seguintes perguntas em relação à cada uma das passagens:
1) Eu creio nessa passagem?
2) Eu experimento na minha vida o que essa passagem declara?
3) Por quê experimento (ou não) essa verdade?

Vamos, pois, às passagens das Escrituras:

  • Êxodo 15:26
  • Êxodo 23:25
  • Salmo 103:3
  • Isaías 53:3
  • 1 Pedro 2:24
  • João 12:26, 46
  • João 14:23
  • 1 João 3:1-8

Querido(a), cada uma dessas passagens confronta aquilo que dizemos crer, e o que, de fato, vivemos.

Apenas recapitulando…

Êxodo 15:26 afirma que se eu andar em total obediência a DEUS, não terei nenhuma das doenças que recaíram sobre o Egito, pois conhecerei a Jeová-Rafá (o SENHOR que Sara).

Êxodo 23:25 afirma que se eu servir a DEUS, ELE abençoará meu alimento e tirará de mim as enfermidades.

Salmo 103:3 afirma, também, que DEUS perdoa todas as minhas iniquidades e sara todas as minhas enfermidades.

Isaías 53:3 e 1 Pedro 2:24 afirmam que pelas feridas de CRISTO nós fomos (não “seremos”, mas já fomos) sarados.

Mas também o texto de João 14:23 afirma que se eu amo a JESUS, guardarei a Sua Palavra, e DEUS irá se manifestar a mim.

Querido(a), a despeito de nossa rotulação religiosa, se essas passagens não apresentam fatos reais em nossas vidas, ai de nós, pois estamos apenas teorizando a Bíblia, não a estamos vivendo!

Como reagimos diante dos sintomas de enfermidades que surgem em nosso meio, em nosso próprio corpo? Confessamos a Palavra – como fêz JESUS – ou simplesmente nos resignamos, aceitando como nossas as dores, e nos “enfiamos nos remédios (drogas químicas lícitas)”, sem buscar saber, diante de DEUS, o que ELE quer nos ensinar ou mostrar? Leia, por favor, o que está em Jó 33:14-30.

Por fim, ao que, de fato, estamos dando crédito? A DEUS e à Sua Palavra, ou ao diabo e seus sintomas?

Reflita: JESUS levou sobre Si todas as nossas dores e as nossas doenças – Isaías 53:4 – será que DEUS seria injusto, cobrando de nós uma dívida que já foi paga por JESUS – Colossenses 2:14?

Certamente que DEUS É JUSTO! ELE não é o responsável pelas enfermidades e dores que nos fazem sofrer… ELE as lançou sobre JESUS lá na cruz! Então, quem é que “traz até nós essas doenças”?

Creio que é chegada a hora de vencermos satanás por meio do Sangue do Cordeiro e por meio da Palavra do Testemunho – Apocalipse 12:11.

Vamos confessar a Palavra de DEUS, declará-la a Satanás e ele haverá de fugir, "Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós."  (Tiago 4:7). Mas precisamos nos sujeitar a DEUS…

domingo, 6 de março de 2016

RESTAURAÇÃO

Quando buscamos o sentido da palavra “restauração”, encontramos como significado “devolver algo ao seu estado original ou a um estado anterior”.
       Restauradores de arte, por exempo, são os profissionais que conseguem restaurar obras de arte que foram danificadas pela ação do tempo, corrigindo as imperfeições de modo que o objeto restaurado retome suas características originais.
       Em se tratando do homem, ele necessita de uma restauração, pois desde que foi criado, acabou perdendo suas características e também seu propósito “original”.
       Encontramos na Palavra de DEUS que ao criar o homem “à Sua imagem”, o Criador pretendiar encher a Terra com uma família piedosa (ML. 2:15). DEUS deseja que a Terra seja habitada por pessoas mansas (MT. 5:5; SL. 37:11), por pessoas que dependam de DEUS e vivam de forma justa (SL. 37:9,29). Em outras palavras, DEUS quer a Terra povoada pelos Seus filhos.
Entretanto, hoje “o mundo jaz no maligno”, pois o Diabo vem enganando a todo o mundo, conduzindo as pessoas como ele quer, sem que elas percebam (1 JO. 5:19; AP. 12:9; EF. 2:2,3).
A despeito disso, o propósito de DEUS permanece o mesmo, pois nenhum dos Seus planos é frustrado (Jó 42:1), nada pode impedir os planos (pensamentos) de DEUS.
Contudo, há a necessidade de buscar-se voltar ao Plano Original do Criador, a fim de que o homem seja “restaurado”.
Infelizmente a humanidade foi corrompida, e o domínio da Terra, outrora entregue ao homem – GN. 1:26; SL. 115:16 – passou a ser do Diabo (LC. 4:5,6).
Sendo assim, o mundo vive debaixo do governo de Satanás, daí a razão de tanto ódio, violência e rebelião, manifestos no mundo inteiro.
DEUS tem um propósito para o homem, mas o homem tem estado alheio a esse propósito. Deixou de ouvir a voz de DEUS – GN. 3:8 – para ouvir ao Diabo – GN. 3:4 – e vemos qual é o resultado… Corrupção – MQ. 2:10.
Todavia, eu e você podemos fazer algo para sermos salvos dessa geração perversa – AT. 2:40. É preciso que demos ouvidos ao Evangelho do Reino de DEUS. Não me refiro aqui ao que está sendo pregado pelas religiões, uma mistura de preceitos humanos mesclados com  textos das Escrituras. Não me refiro ao “evangelho de ofertas”, centralizado nas necessidades humanas. Refiro-me à dar ouvidos ao que a Bíblia Sagrada diz, ao que JESUS ensinou e praticou; à doutrina dos apóstolos, encontrada nas páginas das Escrituras Sagradas.
Ao praticarmos os ensinamentos de JESUS, seremos então restaurados, retornando ao plano original de DEUS para nós!


 

A ORAÇÃO QUE DEUS ATENDE (1a. Parte)

Leitura: JO. 9:31; PV. 15:29; AT. 10:1-4; 1 PE. 3:7; MT. 21:22; JO. 14:13; 15:7; TG. 4:2,3; 1 JO. 3:22; 5:14; MT. 18:18-20; MT. 6:6-15

O homem é religioso por natureza, e a oração ou prece faz parte da vida humana.
No mundo todo, milhares de pessoas separam uma parte de seu tempo para, em algum momento, se dirigirem à alguma entidade ou divindade, oferecendo0lhe algum tipo de oferenda ou fazendo algum tipo de prece, reza ou oração, seja em forma de agradecimento ou de petição.

Claro que cada oração ou prece está diretamente condicionada ao tipo de fé ou crença de cada pessoa, e segue os padrões que por ela foram aprendidos em seu grupo religioso, que lhe ensinou sobre “a quem” e “como” orar. Sendo assim, multiplicam-se os “tipos de petições” conforme as “entidades/Divindades”.

A oração sobre a qual pretendo tratar aqui, no entanto, está relacionada com um único grupo: aqueles que professam fé no Criador do Universo citado nas páginas da Bíblia Sagrada, a saber, os que se dizem “cristãos”.

Se você não crê na Bíblia, não crê que ela seja a Palavra de DEUS, então este artigo não lhe diz respeito, não é para você… Mas, se por outro lado, você crê nela, se de fato ela é, para você, a Palavra de DEUS, então aconselho você a que continue lendo, e que reflita em tudo que será aqui exposto.

Oramos a DEUS, o CRIADOR, atribuindo-Lhe títulos e nomes segundo nosso entendimento… Pedimos coisas, agradecemos…

Mas como saber se somos ouvidos, ou ainda, se seremos atendidos? Existem princípios para orar? O que acontece se não seguirmos, ao orar, os princípios da Palavra de DEUS?

Estas questões serão respondidas a partir de agora…

Princípios a serem seguidos ao orar

JESUS, ao ensinar Seus discípulos a orar (MT. 6:5-15; LC. 11:1-4) mostrou que há certos “princípios” que precisam ser seguidos e certos “requisitos”  para que DEUS “ouça” e “atenda” às orações “feitas a ELE”.
Obs.: Está implícito no texto, que as orações/preces feitas à outra pessoa, DEUS não atenderá.

Vejamos os princípios da oração que o SNEHOR JESUS ensinou:

  • A oração não deve ter como alvo a auto-promoção, ou o “ser visto pelas pessoas” – MT. 6:5;
  • A oração deve ser feita “ao Pai” e “não a qualquer oura pessoa” (santo, entidade, anjo, etc.). Subentende-se, aqui, que a oração está sendo feita por alguém que é filho(a) de DEUS. E no caso, ainda, de você pensar, como muitos, que “todos são filhos de DEUS”, basta examinar o que está escrito em João 1:12 para ver que “nem todos são filhos de DEUS”.
  • A oração não deve ser “repetitiva”, e nem precisa ser “muito longa” – MT. 6:7,8;
  • A oração deve ser direcionada unicamente a DEUS Pai “que está nos céus”. Portanto, não pode ser feita a qualquer “imagem” na Terra – MT. 6:9 com ÊX. 20:4,5;
  • A oração deve buscar a “santificação do Nome de DEUS” – MT. 6:9. Claro que o Nome de DEUS já é santo em si mesmo. Como, então, pode alguém “santificar o Nome de DEUS”? A Bíblia afirma: “… qualquer que professar o Nome de CRISTO, aparte-se da iniquidade”. Em outras palavras, se afirmo que sou “cristão” (pequeno Cristo), então devo me separar para DEUS, fugindo de todo tipo de prática do pecado.
  • A oração deve estar imbuída do desejo de que o Governo de DEUS (Seu Reino) seja estabelecido na Terra. Isso significa que um dos alvos da oração é ser governado por DEUSMT. 6:10;
  • A oração deve ter por meta “conhecer a vontade de DEUS” e buscar direção e forças para realizá-la – MT. 6:10b;
  • A oração deve ser algo diário, e “depois” de buscar o Reino de DEUS e a Sua vontade, é que se vai pedir pelo “pão de cada dia”, o que infere que é algo a ser feito logo pela manhã cedo – MT. 6:11;
  • A oração deve proceder de um coração “sem ressentimentos”, e “sem mágoa”, por alguém que tem o perdão como prática contínua em seu viver diário, que perdoa seus “devedores” – MT. 6:12;
  • A oração precisa ser um canal para “fugir” da tentação, dos nossos desejos impuros, instigados por Satanás e por nosso coração – MT. 6:13; TG. 1:13-15;
  • A oração – para ser atendida – deve estar centralizada na vontade de DEUS (1 JO. 5:14; 3:22);
  • A oração que busca seus próprios interesses, não será atendidaTG. 4:3;

Vale ressaltar que esses princípios são válidos apenaspara os que oram ao Criador (DEUS), há quem não siga estes princípios, e até receba respostas aos seus pedidos, podém tais respostas não vêm de DEUS.

E antes que pergunte “quem, além de DEUS, é capaz de atender nossos pedidos”?, recomendo que leia 1 CO. 10:19,20 junto com 2 CO. 11:14-15 e ainda 2 TS. 2:9-11 e AP. 16:13,14.

Em suma, os demônios têm prazer em enganar o homem, afastando-o da Verdade. 1 Coríndios 10:19,20 afirma que qualquer coisa oferecida às imagens (ou ídolos) é oferecida aos demônios e não a DEUS. Essa afirmação é forte demais!

Temos que fugir de qualquer tipo de idolatria – 1 CO. 10:14; ÊX. 20:4,5 – principalmente do uso de qualquer tipo de imagem em nossas preces, pois andamos “por fé e não por vista” – GL. 4:18; 5:7.

Enfim, que a partir de agora, possamos seguir estes princípios quando formos fazer nossas orações, e então veremos as respostas delas, vindas de DEUS.

sexta-feira, 4 de março de 2016

O Reino e a Justiça de DEUS

Leitura: MT. 6:33


Muito se tem pregado sobre o Reino de DEUS, porém muito pouco se tem falado sobre Sua justiça, como se o Reino de DEUS estivesse dissociado de Sua justiça.
Quando, porém, examinamos a Palavra de DEUS, percebemos que o Reino e a Justiça de DEUS estão juntos, e que a Sua justiça é a manifestação do Seu Reino. Em outras palavras, o governo de DEUS sobre alguém torna-se visível quando esse alguém age expressando a justiça Divina, mesmo que essa justiça seja contrária à justiça dos homens, ou à lógica da sociedade humana.

A seguir, exporei situações que ocorrem cotidianamente, e a forma como a sociedade tenta “resolver” e o que a justiça de DEUS determina…

Analisemos, pois, à luz da Palavra de DEUS:

Os Direitos…
A sociedade não tem mais um referencial para fundamentar seus direitos e deveres, e começou a criar leis segundo o que julgam ser o correto, e por desconhecer o que diz a Palavra de DEUS, agem contrariamente a ela. Se não, vejamos…

O E.C.A. à Luz da Palavra de DEUS

       O “Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)” prioriza o “menor” (pessoas abaixo de 18 anos) ao ponto de ir contra o que DEUS ordena em relação à criação e educação dos filhos.
       É interessante perceber que o artigo 3º da Lei 8.069 de 13/09/1990 (ECA) estabelece que um dos objetivos desta lei é assegurar ao menor o seu “desenvolvimento físico, mental, moral, espiritual e social em condições de liberdade e dignidade”.
       Será que acreditam mesmo ser possível um desenvolvimento moral e espiritual sem obedecer aos princípios da Palavra de DEUS? Todos os princípios morais que conduzem ao respeito e à submissão às autoridades e o respeito mútuo têm origem na Bíbllia Sagrada.
       Pois bem, daí nos artigos 13, 18-A e 18-B a referida lei proíbe aos pais “qualquer tipo de castigo físico”. Desde quando qualquer órgão ou governo humano podem invalidar o que DEUS ordena em Sua Palavra?

       O pai é o representante do próprio DEUS no lar, sendo ali o rei e sacerdote responsável por expressar o amor e a justiça de DEUS. Ora, o Salmo 89:32 fala que DEUS recompensa a desobediência com vara, e a insistência no pecado com açoites.
       Por isso, devemos conhecer o que a Palavra de DEUS nos fala sobre a questão do castigo físico no que diz respeito aos filhos… Textos como PV. 13:24; 22:15; 23:13,14; 26:3; 29:15 nos mostram, de modo inequívoco, junto com DT. 6:4-9, que somos (os pais, não o governo [Estado] ou a sociedade) os responsáveis pela educação de nossos filhos.
       Educar um filho vai exigir, algumas vezes – quando ele escolher desobedecer – que apliquemos o castígo físico, o açoite com uma vara. A vara a ser usada para açoitar o filho deve ser fina e flexível, porém resistente. Deve causar dor, e o objetivo é corrigir a conduta da criança, não apenas castigá-la.

       O abandono do princípio da justiça Di ina de recompensar o bem e punir o mal tem demonstrado ser nocivo à família e também à sociedade.
       Os pais têm sido impedidos de castigar seus filhos como DEUS ordena que o façam, e como resultado, os filhos não aprendem a sujeição e a obediência à autoridade, tornando-se rebeldes e indisciplinados.
       E as consequências estão aí, à nossa volta… Violência de filhos contra os pais, de alunos contra professores, de cidadãos contra as autoridades e contra seus governantes.
       Corruptos e ladrões assumem postos públicos porque não foram educados dentro dos padrões da Palavra de DEUS.

       Resumindo: Satanás subverteu a imagem da autoridade; esta, que deveria refletir a autoridade Divina. Além disso, Satanás instiga o povo à rebelião. Ele repete, aqui na Terra, o que um dia fez lá no céu, quando levou após si uma terça parte dos anjos de DEUS (AP. 12:9). Hoje Satanás está enganando “todo o mundo”, afastando as pessoas da obediência à Verdade. O resultado é a corrupção e a injustiça!

       Portanto, busquemos a justiça de DEUS, começando por nós mesmos… E somente na obediência à Palavra de DEUS (Bíblia Sagrada), é que vamos encontrar Sua justiça – 2 TM. 3:16,17.

quarta-feira, 2 de março de 2016

O Evangelho do Reino de DEUS ou a Religião do Homem… O que você segue? (Parte II)

Leitura: MC. 16:15,16; 1:15; MT. 4:23

 

Portanto, se de fato eu amo a DEUS e a JESUS CRISTO acima de tudo e de todos, eu guardo (obedeço) a Sua Palavra.

A “prova se amo oou não a JESUS está no valor que dou à Sua Palavra. Se realmente O amo, bou buscar conhecer mais e mais a Sua Vontade (RM. 12:1,2) buscando-a na Sua Palavra – JO. 5:39.

Se, entretanto, eu não me aplico a conhecer a Palavra de DEUS, isto prova que, de fato, eu não amo a DEUS, nem mesmo creio nELE ou na Sua Palavra. Posso ser religioso, falar muito sobre DEUS, sobre a Palavra de DEUS, etc. Mas se não busco conhecer a Sua Palavra acima de tudo, não amo a DEUS.
Qual é a nossa situação?

Estou disposto a obedecer a DEUS e a fazer a Sua vontade?

Muitos acham que estão obedecendo a DEUS quando, de fato, não só não O estão obedecendo, como O estão desobedecendo.

Isso porque preferem escolher, na Bíblia Sagrada, só os textos que lhes são convenientes, e que não contrariam seus próprios conceitos e sua preciosa religião. Por desconhecerem a Palavra de DEUS, as pessoas geralmente “escolhem” qual religião vão seguir, baseadas em regras como:

Tradição, Preferem continuar na religião que seus pais ou antepassados seguiram, ou escolhem uma religião que já tenha uma certa “tradição histórica”; assim temos os que são (por tradição) católicos, batistas, assembleianos, metodistas, presbiterianos, adventistas, menonitas, etc. Claro, há os que escolhem a religião pelo “bem-estar” que esta pode lhe oferecer em seus templos, ou então pelos “arranjos musicais” que são apresentados. Outros, ainda, por causa do tipo de “liturgia”.

Uma grande maioria acredita nesta afirmação de Gandhi…

Quão longe estão da verdade! Por isso acreditam que “não importa que religião estejam seguindo, todas levam para DEUS”. Ninguém consulta a DEUS para saber o que ELE fala a respeito disto!

Ninguém consulta a DEUS e nem examina a fundo a Sua Palavra, para ver se estão seguindo e sendo ensinados em toda a verdadeJoão 16:13 – ou se, apesar da “aparência” da sua religão, estão seguindo o “grande enganador”, Satanás – AP. 12:9.

Vou colocar aqui as caracteristicas dos seguidores de JESUS CRISTO, da Igreja que JESUS está edificando – MT. 16:18, juntamente com alguns textos bíblicos… Então eu convido você a examinar os textos a seguir (dentro de seus contextos), e a “provar” ou “examinar” à luz da Palavra de DEUS, e verificar se “sua religião” obedece e ensina você a obedecer a DEUS…

QUANTO À DOUTRINA

Leitura: MT. 28:19,20 – 6:19,33; LC. 16:9-13; MT. 6:24; AT. 20:27, 29-35

No primeiro texto, JESUS ordena aos Seus discípulos que “façam discípulos”. Manda que ensinem a guardar todas as coisas que ELE próprio ensinou e ordenou. Entre as coisas que JESUS praticou e também ensinou vemos o seguinte mandamento: “Não ajunteis tesouros na Terra…” (MT. 6:19). No mesmo contexto, JESUS “ordena” a buscarmos “em primeiro lugar” o “Reino de DEUS e a Sua justiça”. Ora, por “Reino de DEUS”, entenda-se “Governo de DEUS”. Assim, buscar o “governo de DEUS” nada mais é do que “deixar o “ESPÍRITO SANTO de DEUS conduzir todos os aspectos de nosso viver – RM. 8:14. Dessa forma estaremos nos assemelhando à JESUS.

JESUS afirma que “não é para ajuntarmos riquezas. Em 1 TM. 6:3-11 é dito que “o amor ao dinheiro é a raiz de toda espécie de males”, e que nessa cobiça pelo dinheiro, muitos se desviaram da fé.

A Bíblia ainda nos diz que somos “mordomos” dos bens a nós confiados, e não “donos”. Também nos diz que o objetivo dos bens deve ser levar pessoas a conhecer a graça de DEUS – LC. 16:9; 2 CO. 8:1-15; 9:1-12.

A prática entre os primeiros cristãos era tal que entre eles não havia nenhum necessitado, pois “repartiam o que tinham entre si” – AT. 4:32-35.

Os discípulos de JESUS não usavam seus recursos financeiros para “construir templos”, eles se reuniam em suas próprias casas. Eles sabiam que DEUS “não habita em templos feitos por mãos humanas” – AT. 7:48; 17:24. Os recursos que seriam gastos para construir e manter um templo religioso (como fazem hoje), eram empregados para suprir as necessidades que surgiam entre eles – AT. 2:44,45; 4:32-25; 20:20; 1 CO. 16:9; RM. 16:5

Você vive isto? Sua “religião” pratica isto?

Você é instruído a investir em vidas e não em “lugares sagrados” ou “templos”?

Ou será que sua religião ainda tenta se assemelhar ao judaísmo, cobrando dízimos e ofertas para conservar um sistema de templos e “sacerdotes” (profissionais da fé)?

Os seguidores de sua religião vivem como uma “grande família”, onde todos buscam suprir o que falta ao outro, ou apenas levam seus dízimos e ofertas a um lugar específico e depois é “cada um por si”, e “cada um faz o que quer com seu dinheiro”?

Todos vivem da mesma forma, ou os “líderes” se destacam por sua opulência, por acumular mais bens do que seus prosélitos (seguidores)?

JESUS deixou um sinal para identificar Seus discípulos: João 13:35 – o amor mútuo. Em 1 JO. 3:16-18 encontramos que temos que usar nossos “bens do mundo” para ajudar o irmão necessitado.

Praticamos isto?

Reflitamos sobre o que estamos praticando, para que não estejamos entre aqueles que são citados por JESUS em Mateus 7:21-23

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade”