quarta-feira, 12 de março de 2014

RELACIONAMENTOS - A VIDA SENTIMENTAL DA PERSPECTIVA DIVINA

Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.” (Filipenses 4:6,7)
Vivemos dias difíceis! Dias em que as pessoas enfrentam um grande impasse no que diz respeito aos seus relacionamentos afetivos. O individualismo é promovido por uma sociedade onde prevalece o hedonismo, a idéia de que cada um deve procurar aquilo que lhe proporcione prazer.
A sociedade perdeu seu referencial de certo e errado, seus princípios morais estão desgastados e quase sucumbindo, pois prevalece a ideia de que “cada um faça o que achar melhor”.
Mas essa situação não é nova! Já dizia Salomão que não há nada novo debaixo do sol...
"Naqueles dias não havia rei em Israel; cada um fazia o que parecia bem aos seus olhos." (Juízes 17:6)
Houve um período, na história de Israel em que “cada um fazia o que achava certo”.
Apesar de hoje isto ser praticamente o que caracteriza nossa sociedade, há um sério risco quando isto acontece, porque a Palavra de DEUS alerta que:
"Há um caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte." (Provérbios 14:12)
Ou seja, a pessoa pensa que está agindo como a maioria, está fazendo o certo, mas lá no final acaba descobrindo que estava no caminho da morte. Pensam que estão indo para uma festa e terminam em um velório!
Numa sociedade onde mais da metade dos casamentos termina em divórcio, esta mensagem mostra sua atualidade...
Duas pessoas pensam que se conhecem... Começam um relacionamento que, acreditam, será para a vida toda. Casam-se (ou vão morar juntas) e ao descobrirem que seu par não é o que esperava que fosse, ou como gostaria que fosse, acabam se separando ou se divorciando.
Onde está o problema? Por que razão casamentos (ou uniões) feitos com o maior aparato, pompa, juras de amor, etc., acaba em divórcio ou separação?
Porque razão homens e mulheres acabam se frustrando no casamento?
Essa pergunta aparentemente complexa em sua resposta, na realidade não o é!
A resposta a essa incógnita é, antes de mais nada, muito simples! Entretanto, para muitos pode parecer ilógica ou irracional, pois ela não está na esfera da razão humana.
Ora, em se tratando do ser humano, é preciso antes de qualquer coisa compreendermos sua constituição, a forma como o homem foi criado por DEUS. Ao entendermos sua constituição, veremos que os sentimentos humanos nada mais são que uma parte intrínseca de sua constituição, como o é uma engrenagem em um mecanismo.
Se quisermos que nossa vida sentimental seja saudável, precisamos entender a origem de nossos sentimentos, sua função e propósito na vida humana.
Ora, o homem é constituído de espírito, alma e corpo – 1 Tessalonicenses 5:23. O corpo é constituído de carne, sangue e ossos; basicamente. A alma humana, nossa psique é constituída por mente, vontade e emoções (ou sentimentos); em outras palavras, o que penso, o que quero e o que sinto. O querer, o sentir (alegria, tristeza, ódio, amor...) fazem parte de nossa alma. E nosso espírito é composto por intuição, adoração e comunhão. Mas sobre isto poderemos tratar em outra ocasião.
Nos deteremos aqui na questão dos sentimentos, uma parte importante de nossa alma, de nosso ser. Afinal, somos “almas viventes” – cfe. Gênesis 2:7.
Iniciamos falando sobre a questão dos relacionamentos. Pois bem, vamos continuar o assunto...
Hoje em dia as pessoas, conquanto gostem de sentir-se livres, sem compromissos, sem horários, sem responsabilidades; soltas para ir e vir, para fazer “o que der na telha”, ao mesmo tempo sentem que necessitam de alguém com quem possam desfrutar os melhores momentos, as melhores coisas. Alguém que os compreenda, que os acalente, que ouça, que os ajude!
Tal sentimento – a necessidade de um par – é algo perfeitamente natural, e até Divino; pois foi DEUS quem afirmou que “não é bom para o homem o estar só...” – Gênesis 2:18. E para solucionar esse problema da solidão humana, DEUS criou seu par, sua “cara metade” usando uma expressão popular em nossos dias.
Sim! DEUS criou o homem, e para completar o homem, criou a mulher. Embora tenha formado o homem do pó da terra, conforme o relato de Gênesis, para formar a mulher, DEUS usou o homem como fonte de matéria-prima. Da costela do homem, formou a mulher (Gênesis 2:22) e a trouxe até Adão.
Podemos afirmar, portanto, que o primeiro casamento foi instituído por DEUS. DEUS uniu o casal que criou. Daí o por que estar escrito em Provérbios que “do SENHOR vem a esposa prudente” – Provérbios 19:14.
Somente aquele que formou o homem (e a mulher) conhecem o que ele necessita, que tipo de companhia é a ideal, perfeita.
A grande questão aqui é que as pessoas julgam-se inteligentes, independentes, e capazes de encontrar a pessoa ideal, alguém com quem compartilhar seus momentos, seu amor e cônjuge. Quão enganadas estão.
Observe que normalmente as pessoas buscam como seu par alguém com os mesmos gostos e preferências, que “curta” as mesmas coisas; alguém com sentimentos e gostos próximos aos seus. Até mesmo alguém do mesmo nível social. Essa é a lógica aplicada por todas as agências e programas de relacionamento! Mas não funciona!
E sabe por quê? Quando DEUS une duas pessoas, toma pessoas de gostos diferentes, opiniões diferentes, diferentes personalidades, porque no casamento, essas duas pessoas serão ajustadas uma à outra, e uma complementará a outra. Esta é a forma de DEUS fazer as coisas! E dá certo! Porque ELE, e somente ELE sabe que tipo de personalidade, caráter, qualidades e até mesmo defeitos são necessários em cada um dos cônjuges a fim de que possa, por eles, ajustar o outro, trazendo então o perfeito equilíbrio entre ambos. Afinal de contas, DEUS é um DEUS de relacionamentos! DEUS não apenas ama relacionar-se com o homem, como também busca que as pessoas se relacionem entre si; mas de uma forma pura, santa.
Quando caminhou pela Terra, JESUS levou as pessoas a uma completa mudança de atitude em seus relacionamentos. E hoje não é diferente!
Lamentavelmente, entretanto, as pessoas de nossa sociedade não buscam o conselho de DEUS... Buscam apenas seu próprio prazer; e assim, enquanto seu “par” lhe dá prazer e é conveniente, ficam com eles. Porém, tão logo comecem os “atritos”, estão prontos a deixá-los. Eis a razão de tantos divórcios em nossa época.
Ora, o conselho da Palavra é que não estejamos “ansiosos” ou “inquietos” por nada, mas que apresentemos diante de DEUS por meio de oração, súplica e agradecimento as nossas necessidades, nossos pedidos. E aqui certamente há lugar para a questão sentimental, pois é dito que a paz de DEUS, que excede todo entendimento, guardará nossos corações e nossos sentimentos em CRISTO JESUS – Filipenses 4:6,7.
Ora, para que tenhamos ao nosso lado a pessoa que DEUS escolheu, e não nós, precisamos nos apresentar a DEUS, em santidade e obediência; não nos entregando às nossas paixões e vontades carnais, para satisfazer nosso apetite.
Você sabe o que é santidade? É ser separado para o SENHOR DEUS! Obediência é obedecer a Sua Palavra! Dessa forma poderá guardar-se puro(a) para aquele(a) que DEUS trouxer e colocar diante de você.
Mas se você busca alguém “do seu gosto” (não do gosto de DEUS), e relaciona-se com esse alguém como se já fosse seu cônjuge, ainda que não o seja, saiba que está fora da vontade Divina. E ainda que pense que está certo(a), está num caminho de morte e destruição, pois não está fazendo o que DEUS aconselha, mas está fazendo a sua própria vontade.
Cabe aqui uma palavra sobre a questão sexual... As carícias, beijos, abraços, etc., todos são perfeitamente normais dentro do casamento, não fora dele. Quando duas pessoas que não são casadas ficam a trocar beijos, carícias, etc., estão expondo-se ao pecado, estão “abrasando-se”, despertando um no outro a lascívia, a cobiça, e evocando a ação desses espíritos em suas vidas.
Se você é solteiro(a) e quer realmente um relacionamento abençoado por DEUS, então submeta-se ao que ELE determina em Sua Palavra.
"Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor." (II Timóteo 2:22)
Tudo aquilo que é contrário às Escrituras (Bíblia Sagrada) deve ser abandonado!
Você está disposto(a)????