sábado, 25 de julho de 2015

CASAMENTO–O que a Bíblia nos ensina a respeito?

  • GN. 2:18, 21-24; 1:27,28; PV. 19:14

       Após formar o homem, DEUS observou que o homem não podia ficar sozinho, sem uma companheira (GN. 2:18).

       Diante dessa necessidade, DEUS resolveu, ELE próprio, formar uma companheira, uma esposa para Adão – o 1º homem.

       Segundo nosso dicionário (Michaellis), a palavra esposa pode ser definida como “mulher que está ajustada para casar”, ou ainda “cônjuge do sexo feminino”. A Palavra “companheira”, pode também ser definida como “esposa” ou “mulher”, que são sinônimos.

       DEUS determinou-se a dar uma esposa para Adão; e dentro do pensamento original de povoar a Terra com pessoas à Sua imagem (GN. 1:27), buscando, portanto, uma “semente de piedosos” (ML. 2:15), DEUS formou, a partir de Adão, uma mulher, uma fêmea. Aliás, quando a Bíblia menciona a criação da Raça Humana por DEUS, ela mostra de forma clara e inquestionável que DEUS criou “macho e fêmea” (GN. 1:27). Essa afirmação, por si só, já descarta qualquer tentativa de justificar o homossexualismo, lesbianismo ou qualquer prática semelhante como algo aceitável e “normal”. Percebemos, através da Palavra de DEUS, que tais condutas (homossexualismo) são desvios daquilo que originalmente DEUS formou, sendo, portanto, totalmente reprovados por DEUS.

       Num primeiro momento, pois, observamos que o casamento é uma instituição Divina, onde a união entre um homem e uma mulher (macho e fêmea) se torna a base para a formação de uma família dentro dos padrões estabelecidos por DEUS – independentemente de qual seja a prática comum do mundo ou da sociedade dita “moderna”.

Qual a “duração” do Casamento segundo a Bíblia?

  • MT. 19:3-9; MC. 10:11,12; 1 CO. 6:9-11;
  • 1 CO. 7:1-11,39; RM. 7:1-3; ML. 2:16

       Em nossos dias o divórcio é cada vez mais comum, e a prática do “recasamento” é não só considerada como comum e “normal”, como também aceita por muitos grupos ditos cristãos, que consideram tal prática como certa. Ou seja, duas pessoas se casam – contraem o matrimônio – e depois de algum tempo, julgando não haver mais condições de permanecerem casadas com seu cônjuge, se divorciam, e contraem um novo casamento.

       Na Bíblia, porém, o casamento dura até a morte de um dos cônjuges, de modo que essa prática comum e “normal” do recasamento lança aqueles que a cometem em uma vida de adultérioMC. 10:11,12; 1 CO. 7:10-11, 39.

       Claro, há aqueles que, para “facilitar o convívio” com as pessoas, e querendo ser “diplomáticos”, não se posicionam em relação ao assunto, ou então torcem as Escrituras, mudando o contexto de MT. 19 de acordo com sua situação ou daqueles a quem querem favorecer.

       Entretanto, a despeito disto, texto algum das Escrituras Sagradas (Bíblia) nos dá margem para que entendamos que DEUS aceite o divórcio ou, ainda, o “recasamento”. Pelo contrário, a Bíblia é clara em afirmar que “não deixemos nosso cônjuge” (1 CO. 7:10) e, se por acaso vier a “deixar o cônjuge”, então “que fique sem casar ou se reconcilie com ele” – 1 CO.7:11.

       O que fazer, então, nos dias atuais, onde é comum as pessoas casarem, se divorciarem e buscarem um “novo casamento”?

       OBEDEÇAMOS O EVANGELHO, PRATIQUEMOS O QUE DIZ A BÍBLIA!!!